Dança também é coisa de menino

Por causa de Luís XIV, um rei francês da Renascença que era dançarino na juventude, nasceu o balé clássico. Motivados por figuras masculinas, estilos como capoeira, sapateado e dança de rua chegaram às escolas do mundo todo. Os benefícios da prática nunca foram exclusividade do universo feminino e conquistam cada vez mais crianças. Assim como o futebol, qualquer estilo de dança pode ser adequado para meninos, desde que recebam incentivo dos pais.

Qualquer estilo de dança pode ser adequado para meninos e meninas
Qualquer estilo de dança pode ser adequado para meninos e meninas

Foto: Shutterstock

Segundo a professora de teatro e dança da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Mônica Ribeiro, o preconceito em aceitar com naturalidade que meninos pratiquem dança vem do desconhecimento de muitos pais e educadores sobre os benefícios da arte para ambos os sexos. A escolha deve partir da criança, mas são os pais que podem estimular o gosto pela arte, levando a espetáculos de dança e teatro e a cinemas.

Todos os estilos de dança podem ser indicados para meninos e meninas. No entanto, a educadora sugere que, no início, os pais procurem escolas que trabalham o corpo como um todo, com princípios desta arte e ritmos variados, sem especialização. A preocupação de pais e educadores deve ser com a diversão e o bem-estar do pequeno, não com aprimoramentos técnicos, pois a criança ainda está descobrindo o próprio corpo. Uma das alternativas é escolher a dança livre, capaz de estimular o gosto pela prática e a escolha de um estilo mais específico. Em qualquer dos casos, os pais devem ter cuidado para não impor os seus próprios desejos no lugar das vontades da criança. “Praticar o que ela não gosta pode criar um falso desgosto pela arte”, explica Mônica.

Dança melhora raciocínio e coordenação motora e diminui a timidez

Não há uma idade ideal para começar. De acordo a psicopedagoga Cristiane Ferreira, com formação em dança, o que importa é a criança sentir prazer com a prática. Na infância, esta arte é um meio para os pequenos criarem novos relacionamentos, tanto com pessoas da sua idade quanto com adultos, o que favorece a capacidade de socialização e os laços de amizade. Interagir com o grupo e apresentar-se em público também contribui para diminuir a timidez, desde que as crianças não participem de competições, que podem ser motivo de pressão e aumento da inibição, nem sejam obrigadas a se apresentar diante de uma plateia.

Além dos benefícios emocionais, a dança também pode melhorar a postura, o alongamento e o equilíbrio, além de fortalecer os músculos, como explica o coordenador do curso de dança da Faculdade Paulista de Artes, Rogério Caserta. A prática também auxilia o desenvolvimento do raciocínio lógico, da coordenação motora e da capacidade de concentração e aprendizado.

Na hora de escolher a escola ideal, os pais precisam observar se os professores possuem experiência e formação na área. Para garantir que a prática da arte traga reais benefícios aos pequenos, os métodos de ensino da instituição devem deixar de lado a disciplina e priorizar as brincadeiras e a diversão. Sempre no ritmo dos pequenos

Fonte: http://mulher.terra.com.br/vida-de-mae/nao-e-so-futebol-danca-tambem-pode-ser-coisa-de-menino,b4e6328d6379c310VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *